Estudantes da Capital têm canal para estudar Medicina no Paraguai

Adriana Ramirez, Margaret Villasboa e Rosane Mazetto, integrantes do departamento de Marketing e de Comunicação, o diretor Acadêmico, Fernando Gerardo Villasboa Romanach, a coordenadora Geral de Cursos, Rosa Lopez e o professor Francisco Sant’Anna.

Custo das mensalidades e conteúdo curricular direcionado ao exame Revalida e SUS são grandes atrativos

É cada vez maior a procura de estudantes brasileiros por cursos superiores em universidades do vizinho país o Paraguai, não só de Mato Grosso do Sul, mas de outras regiões do território nacional. A preferência dos brasileiros tem ênfase no Curso de Medicina. Nesse sentido, pelo menos umas das maiores instituições de ensino superior daquele país, já iniciou a captação de alunos no Brasil, constituindo uma espécie de representação em Campo Grande.

Trata-se de uma das mais antigas Universidades de Medicina do Paraguai, a Columbia, que tem 76 anos de existência. Com a finalidade de estreitar o intercâmbio com estudantes brasileiros, uma delegação da entidade esteve nesta sexta-feira (26), em Campo Grande, designando como seu representante local um dos mais atuantes coordenadores educacionais da Capital, o professor Francisco Sant’Anna, que por mais de duas décadas esteve à frente do Colégio Latino Americano.

Chefiando a delegação veio à Capital, o diretor Acadêmico da Universidade, Fernando Gerardo Villasboa Romanach, acompanhado da coordenadora Geral de Cursos, Rosa Lopez. Fizeram parte ainda da delegação, as integrantes dos departamentos de Marketing e Comunicação, Margaret Villasboa, Adriana Ramirez e Rosane Mazetto.

Durante a reunião, o diretor Fernando Gerardo enfatizou “a excelente infraestrutura que a universidade coloca à disposição dos acadêmicos, com horário integral e classes práticas extras de procedimentos básicos de Saúde”. Disse também que outro ponto forte do ensino ministrado pela Columbia está ligado ao fato de que o conteúdo curricular já está direcionado a qualificação do aluno, para prestar os Exames Revalida (que é a prova de validação do diploma no Brasil), assim com o Conarem (que é o processo idêntico de validação no Paraguai). Ele disse também que já há algum tempo a instituição de ensino adotada a capacitação profissional voltada aos procedimentos do SUS (Sistema Único de Saúde), que é o plano de saúde publica do Brasil. Assim, o acadêmico, mesmo cursando uma universidade em outro país, toma contato com todos os procedimentos médicos nacionais.

CUSTO ATÉ 80% MAIS BARATO

Outra questão apresentada como grande atrativo, ao ingresso de estudantes brasileiros na Universidade Columbia, esta relacionada ao custo das mensalidades que não chega a 20% do valor praticado pelas instituições brasileiras. Somado a isso, o custo de vida no país vizinho, com ênfase ao aluguel e a alimentação também é bem menor que os encontrados no Brasil. “Paralelamente a isso – pontua Margaret Villasboa, do departamento de Marketing – o estudante é recebido como membro de uma verdadeira família, que é a Família Columbia”. Além do suporte nas questões de adaptação ao País, incluindo locais que os alunos venham a habitar, além de outras questões do dia a dia – explica Rosane Mazetto, que é brasileira e integra o departamento de Comunicação da universidade -, o aluno conta com uma equipe técnica formada por profissionais das mais diversas áreas, que vão desde gestores a psicólogos.

A coordenadora Geral de Cursos Rosa Lopez enfatiza a competência do Corpo Docente, integrado, segundo ela, pelos profissionais mais conceituados da área de Medicina do País. Ela cita como exemplo o caso da Coordenadora do Curso de Medicina, a médica Cynthia Teresa Ovando, que é secretária de Saúde do Departamento de Amambay (Pedro Juan Caballeiro).  Já Adriana Ramirez diz que a maior prova dos excelentes resultados conseguidos pelo ensino na Universidade esta no contentamento dos pais de alunos, que acompanham de perto a evolução dos filhos. “Exatamente com essa finalidade, é que a universidade disponibiliza linhas de telefones exclusivas para pais brasileiros, inclusive com Whattsup, como a +55 67 99211 2006, através da qual podem ser obtidas todas as informações referentes ao curso”, disse ela.

O professor Francisco Sant’Anna, que ficará responsável pelo encaminhamento de alunos à Universidade Columbia, observou a grande evolução do setor do ensino superior no país vizinho, notadamente no Curso de Medicina, e acrescentou dizendo que “os preços das mensalidades praticados no Brasil são extremamente proibitivos, principalmente para famílias de menor poder aquisitivo. Dessa forma, contando com uma educação de qualidade e infinitamente mais em conta no país vizinho, esse intercâmbio surge como uma grande alternativa para a questão”.

SERVIÇO: Mais Informações sobre o Curso de Medicina da Universidade Columbia podem ser obtidas pelos telefones (67) 99146 8197 e (67) 99169 4646 (Campo Grande).

Legendas:

Foto 1: O diretor Acadêmico da Universidade Columbia, Fernando Gerardo Villasboa Romanach.

Foto 2: (Na foto, da esquerda para a direita) Adriana Ramirez, Margaret Villasboa e Rosane Mazetto, integrantes do departamento de Marketing e de Comunicação, o diretor Acadêmico, Fernando Gerardo Villasboa Romanach, a coordenadora Geral de Cursos, Rosa Lopez e o professor Francisco Sant’Anna.

O diretor Acadêmico da Universidade Columbia, Fernando Gerardo Villasboa Romanach.

Comentários

Comentários