As Dez Mais

Primeira:

Notícia que movimentou o final de semana foi o desacerto comercial do deputado Maurício Picarelli (PSDB) com o reverendo RRSoares, dono da Band (Canal-13). Picarelli caiu do cargo. Dizem que ele irá para uma TV-Web.

Segunda:

Amanhã a Prefeitura de Campo Grande inicia o REFIS-2017, com descontos inacreditáveis que chegam a 90% nas multas e parcelamentos. É bom aproveitar a chance. Não se esqueça.

Terceira:

O vereador André Salineiros (PSDB) foi o único voto contra o REFIS-2017. Ele teria dito que “Não iria prestigiar mau-pagadores”.

Quarta:

Carlos Marun (PMDB) disse hoje no meu programa que o PMDB tem duas opções de candidatos para governador no ano que vem: André Puccinelli ou ex-prefeito de Costa Rica Valdeli dos Santos Rosa.

Quinta:

Valdeli é um excelente administrador. Tem 94,04% de aprovação com os eleitores de Costa Rica. Foi o prefeito mais bem avaliado do estado e do País. Pagou até o 16º salário para os professores e chegou ser notícia nacional. É gente assim que estamos precisando.

Sexta:

Acusado de ‘enriquecimento ilícito’ Alcides Berrnal teve R$ 2,5 milhões em bens bloqueados pela Justiça. Bernal está pulando ‘miudinho’ para explicar a compra do apartamento, escrituração abaixo do preço, e a troca numa mansão na Antonio Maria Coelho.

Sétima:

Já estão falando de novo aumento nas tarifas de coletivos nesta Capital. Todo ano é esse sufoco. Segundo dados, cai o número de passageiros e elevam-se preços de pneus, combustíveis e pessoal.

Oitava:

Continua repercutindo a morte de Toshimitu Aratani, um dos grandes incentivadores do ‘baseball’ em nosso estado. Ele faleceu sexta-feira aos 85 anos.

Nona:

Uma bailarina que mora em Brasília-DF, denunciou que sofreu abusos por parte de um coreógrafo e proprietário de uma Companhia de Danças desta Capital. O furdunço está nas redes sociais, mas o acusado desmente.

Décima:

O som alto continua sendo o ‘pomo da discórdia’ em nossos finais de semana. Helinton Reside da Trindade, 18 anos, morreu a tiros na noite de sábado, em Naviraí, por exagerar da altura do som de seu carro. Maurício Maxwell, 42 anos, resolveu apelar para a ignorância e encheu o barulhento de tiros, colocando fim à barulheira.

Amanhã eu volto.

Fuuuuuuuuuuuuuuuui.

Comentários

Comentários