As Dez Mais

Segunda-feira, 18 de Setembro de 2018.

Primeira:

O deputado Carlos Marun (PMDB) virou o “Rei da Mídia”. O DIAP avaliou como positiva sua participação nos debates políticos da Câmara Federal. Agora caberá à ele irá investigar a JBS.

Segunda:

Explodiu nas costas do Governador a exposição “Cadafalso” do MARCO – Museu de Arte Contemporânea, da Fundação de Cultura. Depois da apreensão do quadro “Pedofilia” a proibição para assistir a Mostra, que era para crianças de 12 anos, subiu para 18.

Terceira:

Marcada na agenda do programa BOCA DO POVO uma entrevista tipo “Pinga Fogo” com o ex-governador André Puccinelli (PMDB). Será na próxima quinta-feira das 7 às 8 horas. Fiquem ligados.

Quarta:

Interrupção de trabalho das construtoras que estavam fazendo tapa-buracos para a Prefeitura de Campo Grande deixou muita gente sem pagamento. A Secretaria de Obras precisa tomar providências. Com a palavra o secretário Rudi Fiorese.

Quinta:

Amanhã (terça-feira) é o dia do adeus do PGR Rodrigo Janot. Dizem que depois, não adiantará querer blindá-lo, porque suas “flechadas” serão devidamente respondidas com chumbo grosso.

Sexta:

Joesley Batista falou demais e colocou em fria seu diretor Ricardo Saud e seu irmão Wesley. Para piorar tomou um “chutaço” nos fundilhos da sua esposa Ticiana Villas Boas, que ouviu as confissões de traições e diz não quer mais vê-lo nem pintado de ouro. Dizem que ela já pediu o divórcio.

Sétima:

Pelo menos 6 delações premiadas estão na corda bamba. São elas: a do Marcelo Odebrecht, do Joesley Batista, do Paulo Roberto Costa, do Sérgio Machado e do ex-senador Delcídio do Amaral.

Oitava:

Criticadíssimo nas redes sociais o pastor Valdomiro Santiago. Ele atribuiu a morte do jornalista Marcelo Rezende ao fato de tê-lo denunciado pelas fazendas em Mato Grosso. Desde domingo Valdomiro vem sendo sarrafeado nas redes sociais pela atitude covarde que teve em relação ao querido jornalista da Rede Record de Televisão.

Nona:

Uma senhora de 64 anos esperou 7 horas e meia no Posto da Nova Bahia por uma consulta médica. Chegou ao local à meia-noite de domingo e só foi atendida às 7:30 de hoje. Depois da longa espera, reclamações, maus-tratos por parte das enfermeiras e reportagem no programa Boca do Povo, o médico reapareceu. Consultou a senhora em menos de 5 minutos e receitou paracetamol.

Décima:

Vender gado para o JBS virou uma temeridade. A prisão dos donos está acabando com a magia do grupo que já foi o maior exportador de carnes para o mundo.  Comenta-se o fechamento de algumas plantas em nosso Estado. No Mato Grosso já paralisaram alguns frigoríficos. Uma dívida de 20 bilhões aos bancos tem impedido redesconto de NPRs. O negócio de gado voltou ficar nebuloso e perigoso em nosso Estado. Na incerteza, melhor é manter o boi no pasto.

Amanhã eu volto.

Fuuuuuuuuuuuui.

Comentários

Comentários