As Dez Mais

Sexta-feira, 18 de agosto de 2017.

PRIMEIRA:

Jair Bolsonaro debutou ontem no ‘clube da ovada’. Uma mulher, revoltada com seus discursos e posturas, estourou um ovo no peito do deputado. Agora ele e Dória são membros efetivos desse clube, cuja tendência é só aumentar.

SEGUNDA:

Vereador da nossa Câmara ‘de-tes-ta’ o apelido que ganhou depois da tal CPI DO TÁXI, que nem ele próprio sabe para que serve. Quer vê-lo bravo é só chamá-lo – quando ele passa – de ‘Gordinho do Táxi’.

TERCEIRA:

Dizem que o deputado Cel. Davi virou membro honorário do Movimento Brasil Livre, criação do vereador de S. Paulo Fernando Holliday. O “Movimento” ninguém sabe para que serve e já está apelidado de ‘saveirinho’ que é aquela caminhonete apelidada de ‘vereador’, que diziam na época “ninguém sabe para que serve”.

QUARTA:

O ex-vereador e ex-prefeito Nelsinho Trad (PTB) esteve hoje no meu programa e deu um show de comunicação. Está trabalhando o interior para ser candidato a senador em 2018, mas se o cavalo para Governador passar arreiado… ele monta.

QUINTA:

Marquinhos Trad (PSD) está saindo do sufoco da Seleta e Omep. Depois disso nada mais vai segurar sua administração. Para uma Prefeitura que não tinha horizontes, o comando firme do prefeito está possibilitando ver a luz no final do túnel.

SEXTA:

Pedi ao Nelsinho Trad que desse um “furo” para o nosso programa. Ele relutou, mas no fim se convenceu que já é hora do campo-grandense saber: Marquinhos Trad conseguiu destravar mais de R$ 100 milhões de reais em verbas federais para a Capital. Essa notícia é excelente.

SÉTIMA:

Quem foi pro xilindró nesta sexta-feira, na nova fase da Operação Lava Jato em São Paulo foi o ex-deputado federal Carlos Vaccarezza. A prisão é temporária e válida por 5 dias. Ele recebeu 500 mil dólares em propina. Dizem que a prisão de Vaccarezza vai respingar em Vander Loubet, aqui no Estado.

OITAVA:

O Estado Islâmico assumiu a autoria do atentado em Barcelona que matou 13 pessoas e feriu mais de 100. Uma van atropelou várias pessoas que passeavam pelo calçadão de ‘Las Ramblas’. Dois suspeitos foram presos.

NONA:

Lauro Davi pediu demissão da presidência do IMPCG, e deu como desculpa a nomeação de Elza Pereira da Silva. O prefeito nomeou para substituí-lo a competente Camilla Nascimento de Oliveira.

DÉCIMA:

Comenta-se que Lauro não vinha dando certo na presidência do IMPCG por bater de frente com o prefeito, além de residir em Dourados e querer trabalhar na Capital. Era impossível prestar um bom serviço. Nas sextas-feiras ele sumia para Dourados e os problemas do Instituto que esperassem a sua volta.

Segunda-feira eu volto!.

Fuuuuuuuuuuuuuuuuuui.

Comentários

Comentários