As Dez Mais

Segunda-feira, 14 de agosto de 2017.

PRIMEIRA:

Não fosse a competente equipe do prefeito Marquinhos Trad, provando que as 400 maiores empresas desta Capital operaram normalmente no recolhimento do ICMS ao estado no ano passado, a nossa cidade teria perdido R$ 5 bilhões, desviados pela Secretaria de Fazenda estadual.

SEGUNDA:

O Secretário de Planejamento de Finanças da Prefeitura, Pedro Pedrossian Neto, provou ao secretário de Fazenda Márcio Monteiro, que a diferença da conta era de R$ 5 bilhões. Se o governo não voltasse atrás repondo o dinheiro a denúncia poderia ser mais um escândalo para o ‘conta correntes’ de Azambuja.

TERCEIRA:

Não fosse o erro consertado pelo secretário Márcio Monteiro, dizem que um novo escândalo (ICMS VERDE) poderia explodir na sala do governador. Ele que já coleciona duas denúncias pesadas – delação da JBS e o Picanhagate – não ia querer que a “mágica” viesse à público e inteligentemente, retrocedeu.

QUARTA:

Semana passada em Aquidauana a vice-governadora Rose Modesto se reuniu com lideranças da região e falou como governadora. Ela já aceita a hipótese do afastamento do titular do cargo. O pessoal gostou da ‘boa nova’, afinal, Rose é uma pessoa mais fácil de lidar e mais verdadeira.

QUINTA:

Dizem que, se Rose Modesto entrar para um mandato ‘tampão’ vai mandar muitos secretários atuais fazer as malas, limpar as gavetas, pegar o banquinho e sair de fininho.

SEXTA:

Num grupo das redes sociais, as diretoras de Ceinfs estão irritadas com a falta de temperos e hortifrutis. Há quinze dias a merenda escolar do Município está sendo feita na base do óleo e sal, conferindo gosto nada animador na refeição da petizada. A secretária de Educação culpa a lentidão das licitações.

SÉTIMA:

Um papiloscopista da Polícia Civil e um cabo da PM se estranharam dentro de um ônibus interestadual que saiu de Naviraí. A “coisa” terminou em morte. O policial civil estava armado e importunando os passageiros, até que parou no cabo da PM que escorou o “bravão” na base do tiro. Os dois eram policiais na mesma cidade e não se conheciam.

OITAVA:

Os altos da Afonso Pena ganhou vida nova como a segunda “praia” dos campo-grandenses, graças ao projeto que fechou a avenida aos domingos. Houve festa sem excessos. A galera gostou da primeira amostra do Domingo em Família.

NONA:

Junior Mochi seria o homem para segurar as pontas caso o governador seja mesmo afastado por 180 dias. O equilíbrio dessa negociação estaria na aposentadoria da conselheira Marisa Joaquina Serrano, em abril. Moki ‘quebraria o galho’, Rose Modesto ficaria na chamada “Regra Três”, e no ano que vem o presidente da AL iria para o Tribunal de Contas.

DÉCIMA:

Correndo atrás dos problemas de Campo Grande o prefeito tem esquecido os amigos. Muita gente ‘bicuda’ com o Marquinhos que não atende os amigos, deixando que sejam prejudicados por adversários e prometendo providências que nunca chegam. Como em política, mandato não é ‘um dia a mais’, mas ‘um dia a menos’, vamos ver se na reeleição ele se lembre das mesmas portas.

Amanhã a gente volta.

Abraço.

Fuuuuuuuuuuui.

Comentários

Comentários