As Dez Mais

Segunda-feira, 10 de julho de 2017.

PRIMEIRA:

O ministro Luiz Fux, do STF, disse que a “faxina” nos meios políticos tem data pra terminar: 2022. Todos os apontados na Operação ‘Lava-Jato’ serão julgados pela Corte.

SEGUNDA:

O Governo do Estado está cada vez mais cumprindo menos com suas obrigações financeiras. Há 6 meses não repassa dinheiro da saúde para a Prefeitura de Campo Grande. São 19 milhões que iriam para a saúde básica desta Capital.

TERCEIRA:

CPI do Táxi chegando à sua fase final. Descobriu-se que 15,5% dos 490 alvará existentes, estão nas mãos de 3 (três) famílias. Provavelmente os vereadores opinarão no sentido de cancelar esses alvarás, restituindo-os à municipalidade para serem doados novamente.

QUARTA:

Michel Temer novamente na linha de tiro político. Uns apostam na sua queda. Outros no arquivamento das acusações contra ele. Da bancada de nosso estado “metade” está indecisa. Carlos Marun defende o arquivamento do processo.

QUINTA:

Final de semana violento em nosso Estado. Em Corumbá ‘três’ mortes violentas. Em Campo Grande violência no trânsito com 6 batidas feias. Os finais de semana em nosso Estado é mesmo um ‘salve-se quem puder’.

SEXTA:

A Segunda Guerra Mundial ainda não acabou. Na cidade de Bialystock, no leste da Polônia, descobriram uma bomba do exército alemão pesando 500 quilos. Dez mil pessoas foram evacuadas enquanto o exército polonês procura retirar a bomba para levá-la a um lugar seguro e destruí-la.

SÉTIMA:

Homens e mulheres devem pagar o mesmo preço para entrar em bares, boates ou promoções. A determinação é do Ministério da Justiça. Empresários espertos já estão usando de outro artifício para atrair o público feminino: “taxa de consumação grátis”.

OITAVA:

Comentário em Brasília é de que a delação do ex-ministro Antonio Palocci possui parte onde ele fala sobre “questões fiscais” da Rede Globo. Dizem que o assunto é muito quente e a “platinada” não quer nem ouvir falar dele.

NONA:

De julho do ano passado a julho deste ano a pecuária brasileira já caiu 20%. A arroba, que custava 156 reais, está hoje em R$ 125. Tem boi sobrando no pasto sem mercado para a comercialização por falta de frigoríficos. Bancos e financeiras não estão aceitando notas promissórias da JBS/Friboi. No passado chegavam pegar boi no pasto na marra. Hoje vendê-los, virou a maior dificuldade.

DÉCIMA:

A nova onda das indústrias do tabaco no Brasil é o cigarro com sabor. Descobriram que é mais fácil viciar o jovem antes dos 20 anos, numa pesquisa onde constataram que “Mais de 50% dos adolescentes que já fumaram ao menos uma vez, preferem cigarros saborizados”. Em 2003 só 5 marcas tinham esse tipo de cigarro. Agora já são 239 registradas na Anvisa.

Amanhã eu volto.

Fuuuuuuuuuuuui

Comentários

Comentários