As Dez Mais

Terça-feira, 4 de julho de 2017.

PRIMEIRA:

Foi um ato de muita coragem o Governador oferecer míseros 2,94% de aumento ao funcionalismo, cinco meses depois da data-base. A proposta considerada “indecente” pelos sindicalistas foi de autoria do pecuarista e secretário de Governo Eduardo Riedel.

SEGUNDA:

Sindicalistas ficaram “bege” com a proposta do governo. Quando anunciaram no carro de som estacionado defronte a Governadoria os servidores irromperam em vaias ao Governo. 2,94% não cobre nem a inflação deste ano. Os sindicalistas estarão reunidos para decidir o futuro do atual governo que deverá ser pra lá de tumultuado.

TERCEIRA:

Tudo indica que o caminho dos servidores estaduais, daqui pra frente, será de greves e manifestações ruidosas. O descontentamento com o Governo é unânime entre os 75 mil servidores. Apesar de pouco, o aumento proposto impactaria na folha estadual em R$ 11 milhões.

QUARTA:

O Governo do Estado não consegue dar aumento aos servidores devido às milhares de nomeações feitas à esmo pelo governo “tucano”. A maioria dos nomeados não cumprem expediente. Sindicalistas denunciam que “se todos nomeados comparecessem ao local de trabalho, nem mesa e cadeiras beliches suportariam”.

QUINTA:

O Governo do Estado entrou agora numa fase de afunilamento. O descontentamento interno prenuncia dias terríveis para o futuro político da galera “tucana”. Os marketeiros ‘aloprados’ orientam o Governador a “Deixar a ‘bugrada’ chorar, porque o pranto é livre”.

SEXTA:

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) mandou depositar hoje os salários funcionais, dos pensionistas e dos aposentados. Será injetado no comércio 129 milhões de reais. O quinto dia útil, que seria o prazo final para pagamento, é na sexta-feira.

SÉTIMA:

Os servidores estaduais estão morrendo de inveja dos servidores municipais. Até agora não viram a cor do pagamento. O Governador prometeu pagar na sexta-feira – último dia útil – e a grana só poderá ser sacada nos caixas a partir de sábado ou segunda-feira.

OITAVA:

Divórcio de casal considerado inabalável está dando o que falar. Acontece que não há o que dividir. O que ele tem está bloqueado. Tiveram que devolver a mansão no Dahma porque o vendedor não quis esperar o desbloqueio. É como dizia a Tia Laura: “Em casa que falta pão, todo mundo grita e ninguém tem razão”.

NONA:

O plano A, B ou C do PMDB é: André Puccinelli para governador em 2018, e seja lá o que Deus quiser. André continua administrando muito bem sua ausência, sendo mais lembrado que o próprio Governador. A menos que surja alguma novidade, o nome do PMDB é André e fim de papo.

DÉCIMA:

Dizem que o Ministério Público Estadual vai receber denúncia de pagamento de publicidade do Estado para um site “fantasma” cujo dono apenas “mama” nas tetas do Governo.

Amanhã eu volto.

Fuuuuuuuuuuuuui.

Comentários

Comentários