As Dez Mais

Terça-feira, 27 de junho de 2017.

PRIMEIRA:

O bimotor que “desceu” com 653 quilos de cocaína pura em Jussara – MT, não era de propriedade do Grupo Amaggi, mas decolou da fazenda Itamarati – II em Campos Novos dos Parecis -MT, arrendada para o grupo empresarial do senador licenciado e ministro da Agricultura Blairo Maggi. O avião está registrado na Anac em nome do piloto a Jeison Moreira de Souza.

SEGUNDA:

O Chocolate que ‘vereou’ em nossa Câmara Municipal por um mandato está de volta aos picadeiros de circos fazendo sua arte circense e espalhando alegria. Está feliz e diz abertamente que pelo menos, no palco a vida é mais real que na política.

TERCEIRA:

A política do “pão e circo” virou bandeira de governo para Reinaldo Azambuja. Ontem mesmo ele anunciou que irá gastar R$ 1,4 mil para o 18º Festival de Bonito. De festa os “tucanos” gostam e entendem, mas de obras são um fracasso.

QUARTA:

Hoje em Brasília o vice-presidente da Comissão de Ética do Senado, Pedro Chaves (PSC), vai trabalhar para desarquivar o processo que pede a cassação do seu colega senador Aécio Neves (PSDB) para submetê-lo a um julgamento justo.

QUINTA:

O deputado federal Carlos Marun (PMDB) teve ontem dia de agenda lotada nesta Capital atendendo pessoal da Capital e do interior, isto depois de ter passado o final de semana percorrendo a região Oeste do Estado.

SEXTA:

Faleceu e foi sepultado ontem o brilhante advogado Dr. Omar Rasslan. Foi uma despedida sentida. Omar era alegre, bem humorado e divertido. Tinha sucesso em tudo aquilo que fazia. Deixou esposa e um casal de filhos. Um exemplo de vida a ser seguido.

SÉTIMA:

Quem imaginar que o presidente Michel Temer está no ‘mato sem cachorro’ pode ir tirando o cavalo da chuva. Embora o Procurador-geral da República Rodrigo Jano tenha fatiado a denúncia e enquadrado Temer na delação da JBS, o ministro Edson Fachin deverá pedir à Câmara Federal autorização para abrir processo contra o presidente, mas dificilmente os deputados federais deixarão. Temer seguirá sangrando, mas na presidência té o final do seu mandato.

OITAVA:

O governo estadual tenta desesperadamente transformar o limão da delação da JBS em limonada. Tenta criar uma investigação paralela sobre incentivos concedidos à JBS, mas a ação tem o gosto amargo da vingança. No centro das investigações do STJ está a propina de 38 milhões que Wesley disse ter entregue ao governador pessoalmente. Quanto à CPI que rola na ALMS, falta-lhe credibilidade.

NONA:

Médicos continuam desafiando a Justiça e mantendo a greve, irritando a população que já começa a se consultar pelo “doutor Google” sem sair de casa e sem fila de espera. Com exceção das emergências, a pajelança do médico cibernético dá pra tocar a vida, e muito bem.

DÉCIMA:

O promotor Marcos Alex Veras deu mais um fora ao tentar derrubar do cargo o superintendente do Procon estadual, Marcelo Salomão, usando da justificativa de que ele é genro da secretária de Educação. Parece que o promotor não lê e desconhece as razões da Súmula Vinculante 13. Segundo a Dra. Isabela Albieri, especialista em Direito Administrativo, o superintendente não é subordinado da sogra, é advogado, possui qualificação para exercer o cargo e o promotor deu mais um dos seus “foras” nas suas investidas.

Amanhã eu volto.

Fuuuuuuuuuuui.

Comentários

Comentários