As Dez Mais

Sexta-feira, 23 de junho de 2017.

AS ‘DEZ’ MAIS

PRIMEIRA:

Não foi boa idéia essa de Reinaldo Azambuja “peitar” o ministro Edson Fachin, do STF. A ‘alopração jurídica’ terminou numa fragorosa derrota. Agora é esperar pelas conseqüências que não serão nada boas.

SEGUNDA:

O ministro Fachin ficou com a relatoria da delação dos donos da JBS, e mandou que o STJ apresse a investigação de todos os delatados. Adivinhem se isso não vai cair sobre nosso Estado como uma bomba.

TERCEIRA:

Alcides Bernal agora se enrolou de vez com a compra das lâmpadas chinesas de LED. O Tribunal de Contas mandou desfazer o negócio, mas a empresa que vendeu as lâmpadas fechou as portas com 20 milhões da nossa prefeitura no bolso e sumiu do mapa. Tem gente apostando que isso vai dar cadeia.

QUARTA:

Hoje é aniversário do meu querido amigo desembargador João Batista da Costa Marques, ex-vice presidente do TJMS, uma das figuras notórias da nossa Justiça, e filho ilustre da nossa querida Bela Vista. Ao Dr. João, o nosso carinhoso abraço.

QUINTA:

Segunda-feira começa na ESA – Escola Superior de Advocacia – da OAB/MS, o curso “Fiscalizando Licitações”. O palestrante é o Dr. Victor Paiva. As inscrições ainda podem ser feitas pelo fone 3342-4000.

SEXTA:

O deputado Rodrigo Rocha Loures, que está preso devido a delação dos donos da JBS/Friboi, carregou a mala com os 500 mil reais de propina em um jatinho da FAB. Durma-se com um barulho desse.

SÉTIMA:

Ontem o vereador Fritz se destemperou, enfiando os ‘pés pelas mãos’ na Câmara. Insuflou enfermeiros à greve e foi filmado pelo Hermenegildo – que não gosta do nome e só aceita ser chamado por Gildo – marketeiro do governador que ganha 16 mil por mês. Dizem que: Fritz, Gildo e Andressa formam um trio de “aloprados” que na SESAU mandam mais que o secretário. O prefeito precisa tomar providência.

OITAVA:

Retorno de publicidade seria a mais recente novidade no governo. Eles mandam, você publica, paga 20% para a Agência e devolve 30% como “retorno”. Coisa mesmo de “aloprado”.

NONA:

Em Ponta Porã, agora pela manhã, foi assassinado o ex-policial Albino Noel Correa (57). Ele foi executado com tiros de fuzil e 9 milímetros, quando estava saindo do semiaberto. Albino portava documento falso como Francisco Guanes e era pistoleiro temido na fronteira. Tinha sido expulso da Polícia Militar e cumpria pena por tráfico de drogas. Ninguém foi ou “vai” ser preso.

DÉCIMA:

A denúncia da revista BOCA DO POVO sobre os “Bacanas Invisíveis” já mexeu com o pessoal beneficiado que recebia sem trabalhar. Terça-feira a Márcia Maria Oliveira Sales Tlaes, foi colocada à disposição da Junta Comercial do Estado “sem ônus para a origem”, em ato assinado pelo governador Azambuja. Foi uma operação ‘tapa-buraco’ emergencial na sua situação funcional. Ainda ficou faltando outros dois auditores que estão recebendo sem trabalhar, morando em Corumbá.

Voltaremos ao assunto.

Segunda-feira eu volto.

Fuuuuuuuuuuuuuuui.

Comentários

Comentários