As Dez Mais

Quinta-feira, 22 de junho de 2017.

PRIMEIRA:

O Governador vetou a lei do deputado estadual Márcio Fernandes que proíbe a venda de refrigerantes nas cantinas das escolas estaduais. Dizem que o “lobby” das fabricantes funcionou a todo vapor. A obesidade que se dane.

SEGUNDA:

Em Brasília a votação inicial a favor do ministro Edson Fachin parou ontem nos 2 a ‘zero’. Fachin deverá continuar comandando as apurações das delações dos Irmãos Batista, da JBS/FRIBOI.

TERCEIRA:

O Tribunal de Contas condenou a compra dos 10 containeres de lâmpadas de LED chinesas feitas pelo ex-prefeito Alcides Bernal. O contrato de R$ 33,8 milhões está suspenso. A compra foi considerada: viciada e irregular, com fraudes e crimes de prevaricação e improbidade administrativa.

QUARTA:

A condenação do Tribunal de Contas contra a compra das lâmpadas de LED feitas por Bernal, dará direito à Prefeitura de Campo Grande romper o contrato com a importadora e pedir o nosso dinheiro de volta. Bernal vai responder pelos crimes praticados podendo ter bens bloqueados e até ir pra cadeia.

QUINTA:

A ‘Lei Siufi’ vai fazer a Energisa quitar débitos do chamado ‘Terceiro Setor’ – Santas Casas, Asilos e entidades filantrópicas – com dinheiro recuperado das fraudes do consumo de energia. Ela será submetida hoje a plenário.

SEXTA:

O presidente da ALMS, deputado Junior Mochi, disse que se aprovada, a “Lei Siufi” poderá ser utilizada pelas demais Assembléias estaduais do Brasil, e que depois de ‘nove’ utilizações a lei poderá virar nacional.

SÉTIMA:

Os Estados Unidos suspendeu a compra de gado abatido pela JBS de Campo Grande. A carne exportada apresentava inchaços internos, sinal que a vacina contra febre aftosa não havia sido absorvida pelo gado abatido. Autoridades norte-americanas detectaram a falha, devolveram a carne e suspenderam as compras temporariamente.

OITAVA:

O incêndio de ontem na Casa das Borrachas, no centro de Campo Grande, mostrou que as fiscalizações feitas pelo Corpo de Bombeiros ainda deixam muito a desejar. A loja funcionava sem certificado de vistoria.

NONA:

O placar de 2 a ‘zero’ a favor da manutenção das regras que concederam a delação premiada aos donos da JBS/Friboi, colocou o pescoço do governador Azambuja na guilhotina. Há quem diga que o placar será de, no mínimo, 6 a 4.

DÉCIMA:

A ‘CPI DA MORTADELA’ que está rolando na Assembléia sob a presidência do deputado Paulo Correia para apurar a emissão de “notas frias” no escândalo JBS/Friboi, pretende convocar os donos dos frigoríficos Joesley e Wesley Batista. O trabalho deverá demorar 120 dias. A ‘CPI DA MORTADELA’, na observação de muitos não passa de um ‘stand-up’ da nossa política.

Amanhã eu volto.

Fuuuuuuuuuuuui.

Comentários

Comentários