AS ’10’ MAIS

Segunda-feira, 28 de setembro de 2015.

1ª)

Semana começa esperando a decisão da desembargadora Tânia Garcia de Freitas Borges. A questão é: houve ou não erro processual na recondução de Alcides Bernal ao cargo?. Há ainda o fato de Bernal já ter sido julgado pelo ministro Gilmar Mendes e declarado cassado, autorizando-o a concorrer ao senado. As duas ações já decididas em Brasília foram ignorada pelo TJMS. O ‘embargo de declaração’ deverá ser julgado até no máximo quarta-feira. O desembargador Sérgio Martins deveria ter se dado por impedido, mas ignorou a restrição. A sessão que reconduziu Bernal poderá ser anulada e Olarte deverá ser reconduzido à prefeitura.

2ª)

Em Brasília o CNJ está de olho na decisão da desembargadora para evitar que haja qualquer tipo de influência nessa julgamento, considerando que a recondução de Bernal foi política e não jurídica.

3ª)

Apressando para criar um fato novo que reforce o posicionamento político do TJMS, o GAECO tentou na semana passada conseguir a declaração de prisão de três envolvidos em suas investigações, mas elas foram consideradas ‘temerosas’ e ‘desnecessárias’ porque todos possuem residência fixa e nunca se negaram a comparecer aos chamamentos.

4ª)

Há informações de que o TJMS tenta se livrar da ‘batata quente’ que inadvertidamente dois desembargadores resolveram abraçar deliberadamente. A pressão para que as coisas voltem ao leito normal nem é mais política, mas da sociedade campo-grandense, ciente dos rumos distorcidos tomados por Bernal e sua turma na administração desta Capital.

5ª)

A semana começa com a paralisação dos administrativos da Educação. 85{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} suspenderam suas atividades, e querem o pagamento do Bolsa Alimentação, prometido por Bernal e Paulo Pedra para a sexta-feira passada. ao todo são 3. 300 servidores parados. 2.000 são administrativos e 1.300 Agentes Comunitários.

6ª)

Não dá pra entender porque a Prefeitura não paga esse pessoal porque dinheiro tem, aliás, a conta da Prefeitura está recheada. O próprio Paulo Pedra reconhecia isso quando era vereador, e em seus discursos raivosos afirmara que “Dinheiro existia e que Olarte estava tomando bolada nas costas de seus Secretários”. Será que não está acontecendo a mesma coisa com Olarte?

7ª)

Em Aquidauana o ambiente político também está fervilhando. O Governador Azambuja descobriu um plano para enfraquecer a candidatura do milionário Odilon, pupilo do Sérgio da Casa Civil no PSDB, e mandou agir rápido. O deputado Felipe Orro bolou uma ‘Frente’ para fazer o enfrentamento do adversário político para a prefeitura da cidade.

8ª)

Figuras da política que nunca falaram a mesma língua estavam se juntando para dar o chamado ‘drible da vaca’ no candidato do governador, mas parece que Reinaldo acordou e chamou o Sérgio de Paula para uma conversa franca. Aliás, comenta-se hoje, a existência de uma debandada geral do ninho tucano, o que não será nada bom para os resultados que desejam obter em 2016.

9ª)

Fim de semana sangrento em nosso Estado. Mais de 10 pessoas morreram de forma violenta entre assassinatos, capotamentos e outros infaustos acontecimentos. A maioria das vítimas são jovens, o que é de se lamentar ainda mais esses números que turbinam as estatísticas semanais em nosso Estado.

10ª)

Ricardo Ayache poderá ser candidato a prefeito pelo PSB e o PMDB poderá indicar um vice. A possibilidade está sendo aventada com a saída de Marquinhos Trad do partido. Puccinelli virou o ‘gato mestre’ dessa estratégia política. O fato de estar sendo sondado para um alto cargo federal reforça Puccinelli no comando do PMDB no Estado. O ex-governador quer pelo menos uma fatia da Prefeitura de Campo Grande a fim de reforçar sua candidatura a governador em 2018.

Amanhã eu volto.

Fuuuuuuuuuuuuui.

Comentários

Comentários