Agepan e Aneel iniciam 2ª Campanha de Fiscalização de Segurança de Barragens de 2019

Foto Divulgação

Ações incluem inspeção da obrigatória articulação dos empreendimentos com a Defesa Civil de municípios potencialmente atingidos

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), em parceria com agências estaduais conveniadas, dará início à Campanha de Segurança de Barragens do 2° semestre de 2019. O foco da campanha consiste na avaliação de conformidade do Plano de Segurança de Barragens – PSB e Plano de Ação de Emergência – PAE, e na implantação do PAE e articulação com a Defesa Civil. Serão fiscalizadas usinas que não foram vistoriadas na Campanha do 1º semestre.

Em Mato Grosso do Sul, a Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos (Agepan) vai fiscalizar as usinas São Domingos e Verde 4, instaladas no Rio Verde, entre os municípios de Água Clara e Ribas do Rio Pardo); e Indaiazinho, instalada no Rio Indaiá Grande, no município de Cassilândia.

Em junho, a Aneel promoveu reunião de nivelamento de informações com a Agepan e demais agências estaduais e o encaminhamento de todos os documentos preparatórios. Finalizada a preparação no mês de julho, as fiscalizações acontecem neste mês de agosto, com previsão de término em novembro.

A equipe da Agepan inicia as inspeções a campo no dia 13, com previsão de término dessa etapa no dia 30.

Cronograma

USINA

MUNICÍPIO(S)

RIO

AÇÃO PRESENCIAL (Visita na Usina)

PCH Verde 4 (19.000 kW)

RIBAS DO RIO PARDO / ÁGUA CLARA

Verde

Dias 13 e 14/08/2019

UHE São Domingos     (48.000 kW)

RIBAS DO RIO PARDO / ÁGUA CLARA

Verde

Dias 15 e 16/08/2019

PCH Indaiazinho (12.500 kW)

CASSILÂNDIA

Indaiá Grande

Dias 29 e 30/08/2019

Um diferencial dessa Campanha é a presença maior da Defesa Civil. Representantes das unidades de Defesa Civil de cada um dos municípios abrangidos foram formalmente convidados a estar presente na usina. “A Aneel reforçou bastante esse aspecto nessa nova campanha de fiscalização, porque é essencial checar o grau de articulação entre o operador e essas instituições, averiguar se existe a necessária organização e conferir junto aos Municípios se os planos de contingência que cada um deles possui para questões de segurança inclui ações de enfrentamento a potencial rompimento de barragens”, explica o diretor da Agepan, Valter Almeida da Silva.

Em cada uma das usinas, o roteiro de fiscalização inclui:

·         Reunião de abertura, quando são apresentados os participantes, apresentada a própria fiscalização, e apresentada a empresa (contendo  detalhamento solicitado pela Agência previamente);

·         Verificação documental – Plano de Segurança de Barragem, Plano de Ação Emergencial, documentação sobre Índice de Segurança (ISB) e Formulário de Segurança (FSB);

·         Encontro na usina com representantes da Defesa Civil de Municípios potencialmente atingidos

·         Inspeção a campo – que subsidia o preenchimento de uma extensa lista de conferência.

Uma reunião de encerramento marca o fechamento dessa etapa. Até novembro, serão elaborados relatórios de fiscalização e definidas eventuais notificações e tomadas de decisão.

Comentários

Comentários